aquela do Beatles.

– Pensei que não viria mais…

– É, fiquei pensando nisso também.

– Que você não viria?

– É. Não sei se deveria, sei lá… é que parece que ta tudo indo tão rápido sabe, que as vezes acho que você vai pular fora.

– …

– Porque ta rindo? sei lá, eu acho…

– É você que vai muito rápido. Já chegou falando tudo isso. E eu diria que acha demais. Eu to aqui, não estou?

– É. E pelo que eu te conheço, você poderia ta lá naquela sua aula estranha de yoga. Yoga pra cá, yoga pra lá…

– haha… é verdade. então. o que vamos faz… ei! o que é esse papelzinho ai?

– Ahm… nada não. só papel e…

– Me mostra, deve ser um daqueles poemas/frases/histórias suas, nunca sei ao certo o que é. São estranhas. Por mais que eu sei que nunca vai sair um pra mim, eu gosto… haha. Vai, me mostra ai…

– Ahm… na verdade é pra você.

– …

– Assim, não fala nada. Sério. Não é nada demais, é bem idiota, mas eu vou falar. Ai no final a gente sai desse banco em silêncio, segue até o bar… e… … e pede batatinha frita, ou… ou outra coisa e inventa algum assunto novo. Não precisa falar nada. Só ouve tá?

– … ok

– Bem… ahm… assim:

” Eu vou.

Eu vou andar, eu vou.

Quem sabe chegar num ponto, onde eu possa te dizer aquilo.

Quem sabe chegar num ponto onde eu possa pensar em você sem tremer, só ser você.

Chegar e ficar sensato, sem correr, sem pular, sem pensar.

Eu vou tentar ser aquilo que eu sempre quis, mas não consegui.

Eu vou até plantar flores, e eu vou colher saudades suas.

Eu vou ser calmo, como manhã de domingo. Vou ser calmo como eu não sou.

Vou te pegar pelo braço, te levar até o final, e recomeçar o início do que eu quero, para nunca ter fim. Só nós dois.

Eu vou te olhar, e te cantar: “Close your eyes and I’ll kiss you!” sem parecer brega e idiota.

Te falar que é só você, sem importar quem já foi. Sem perceber que alguém já foi. Que alguém foi. Quem mesmo?

E pensar quem foi mais, quem te quis mais, quem você foi mais, quem te fez brilhar. E te fazer esquecer tudo isso.

E mesmo que seu coração se apague, para tudo, para todos, para sempre, eu vou ser quem ele vai ver, quem ele vai sorrir de novo.

Eu vou apenas sentar. E te olhar. E te dizer aquilo.

…e se quiser, eu vou te amar.

… porque eu vou.”

– …

– …

– Eu gosto tanto de Beatles, sabe…

aquela do Beatles.